sábado, 2 de outubro de 2010

RESPOSTA DE VALNICE MILHOMENS AO MEU ARTIGO

Apóstola esclarece relação entre Marina Silva e o Partido Verde
Por Alan Capriles

Recebi ontem um e-mail da apóstola Valnice Milhomens, em resposta ao meu artigo intitulado PT E PV: FARINHAS DO MESMO SACO. Não que ela seja leitora do meu blog, mas espalhei o artigo para centenas de contatos por e-mail e, certamente, alguém repassou para ela. Segue abaixo, e na íntegra, o que Valnice me escreveu:

Amado irmão,

Para Marina aceitar o convite do PV exigiu uma revisão da defesa de questões que ferem sua consciência cristã. Dai ter sido votado na Convenção do partido a "Cláusula de consciência." Os membros do partido são livres para votarem de acordo com a sua consciência. Infelizmente os partidos políticos não são perfeitos. Em todos há pessoas retas e ímpias. No entanto o sistema vigente elege através do partido. Mas como o PT não controlou o Lula, creio que o PV não controlará Marina. Sua entrada trouxe uma renovação com um grande número de pessoas de bem que se filiaram ao partido e partilham dos valores de Marina. Por outro lado, uma leva insatisfeita com seus valores e as mudanças por causa dela, saiu.

Que Deus nos ajude a encontrar o melhor para nossa nação.

Bênçãos plenas para sua vida,

Valnice
Agradeço a Deus por este email. Primeiro, porque revela a humildade de Valnice Milhomens, que, apesar de apóstola, escreveu para um desconhecido. Segundo, porque me possibilitou o fio da meada que eu tanto procurava. Ao investigar a tal “Cláusula da Consciência” descobri os vídeos do Partido Verde nos quais Alfredo Sirkis, na Convenção Nacional do Partido, em junho deste ano, explicou::

“Essa é uma cláusula que vai salvaguardar as pessoas que tem algum tipo de objeção de consciência religiosa a elementos do nosso programa pra poderem eventualmente não votar. E explicar por que. Embora não possam votar contrariamente às posições do partido. E também, no caso, não possam ocupar cargos de direção em instituições ou movimentos ou articulações que existam para mobilização no sentido contrário a alguma cláusula do programa do partido.”


Alfredo Sirkis é vice-presidente e coordenador nacional do Partido Verde.

Mediante este fato, creio que Valnice está equivocada ao afirmar que “o PV não controlará Marina”. Sirkis é contundente ao explicar que, embora Marina possa se abster de votar, ela não poderá votar contra as posições do partido. Já revelei aqui quais são as propostas do PV: legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o aborto, as drogas, e os jogos de azar.

Marina Silva está amarrada pela cláusula de consciência. Segundo a cláusula, embora Marina possa se abster de votar estar questões, ela não poderá votar contra! Ora, isto não é outra coisa senão controle do partido sobre sua candidata a presidência. Foi por esta razão que a cláusula foi aprovada com unanimidade. Estranho não haver nenhum voto contrário!

Valnice afirmou também que muitos saíram do PV por causa dos valores defendidos por Marina Silva. Mas por que Sirkis continua lá? Ele é totalmente favorável às causas imorais, assim como Carlos Minc, candidato a deputado estadual, que assinou termo de compromisso com a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT). Já denunciei a relação dos candidatos comprometidos num artigo anterior.

Para piorar ainda mais a situação, Sirkis afirmou, no mesmo dia, diante das câmaras, que Marina Silva é 100% a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. 100% a favor!!! Mas isto é assunto para o próximo artigo.

Por Alan Capriles

Nenhum comentário: