terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O TESTE FINAL PARA AS PROFECIAS DOS PAPAS


Por Alan Capriles

Não costumo escrever sobre isso, para não ser mal interpretado, mas um de meus passatempos prediletos é o estudo das profecias. Refiro-me não somente a profecias encontradas na Bíblia, mas a qualquer profecia que pareça confirmar a escatologia bíblica, ainda que esteja num livro apócrifo. Como, por exemplo, uma profecia que se encontra no livro da Ascensão de Isaías, a respeito da qual escrevi anteriormente.

Mas foi a recente renúncia do papa Bento XVI que me trouxe à memória uma suposta profecia da qual tomei conhecimento há alguns anos. Trata-se do texto que ficou conhecido como a profecia de São Malaquias, um bispo irlandês que viveu no século XII e que no ano de 1139, em visita a Roma, teria tido uma revelação divina acerca de todos os futuros papas que haveria na igreja católica [1].

O que torna essa suposta profecia interessante é sua correlação com, no mínimo, duas outras profecias, uma das quais se encontra no livro das Revelações, mais conhecido como Apocalipse. Neste artigo analisarei cada uma delas e você descobrirá porque nosso atual momento histórico é o teste final para o que chamei de “as profecias dos papas”.

A PROFECIA DE SÃO MALAQUIAS

A lista de São Malaquias [2] consta de 111 frases curtas, escritas em latim, chamadas de divisas ou lemas, e que corresponderiam a todos os futuros papas, desde Celestino II, que subiu ao trono papal em 1143, até o papa de número 111, que foi o papa Bento XVI. Relacionei a seguir, e a título de curiosidade, os três primeiros e últimos lemas desta longa lista, com sua tradução do latim para o português, bem como a data e o nome de cada papa correspondente:

1 - Ex Castro Tiberis - Do Castelo do Tibre - Papa Celestino II (1143-1144) - Guido di Castello

2 - Inimicus Expulsus - Inimigos Expulsos - Papa Lúcio II (1144-1145) - Gherardo Caccianemici dell'Orso

3 - De Magnitudine Montis - Procedente de Montemagno - Beato Eugênio III, O.Cist. (1145-1153) - Bernardo Pignatelli
...

109 - De Medietate Lunae - Da Metade da Lua - Papa João Paulo I (1978) - Albino Luciani

110 - De Labore Solis - Do Trabalho do Sol - Beato João Paulo II (1978-2005) - Karol Jozef Wojtyla

111 - De Gloria Olivae - Da Glória da Oliveira - Papa Bento XVI (2005-2013) Joseph Alois Ratzinger

Com o passar dos anos a profecia de São Malaquias foi ganhando crédito, pois cada lema parece mesmo ter alguma coisa a ver com cada papa correspondente. João Paulo II, por exemplo, que foi o papa de número 110, teve por lema a frase “Do trabalho do sol”. Intérpretes dizem que nenhum outro papa deu tantas voltas ao mundo como ele, lembrando o trabalho do sol, além do fato de que tanto seu nascimento quanto seu sepultamento tenha ocorrido durante um eclipse solar. É inegável também o fato de que o brilho pessoal de João Paulo II obscureceu a lembrança de qualquer outro papa do século passado.

Mas a lista de São Malaquias não termina com o lema de número 111, mas é acrescida de uma sinistra conclusão. Apesar de não ser numerada, a conclusão parece indicar um possível 112º papa, o qual seria o último da história da igreja católica. Mas este não é descrito por um lema e sim por uma frase que considero, no mínimo, intrigante:

"Na última perseguição à sagrada Igreja Romana reinará Pedro o Romano, que alimentará as suas ovelhas com muitas tribulações; passadas as quais a cidade das sete colinas será destruída e o juiz terrível julgará o seu povo. Fim."

A frase parece descrever um período de grande tribulação, na qual a cidade de Roma seria destruída (atentado nuclear terrorista?) e, segundo alguns, chegaria o temido dia do juízo final. Mas quem seria esse “Pedro o Romano”? E porque ele não está enumerado com os demais papas?

Há uma especulação de que possivelmente “Pedro o Romano” não seja um papa, razão pela qual não estaria enumerado. Neste caso, poderia ser o Cardeal Camerlengo que é quem tradicionalmente assume o pontificado no período de transição entre um papa e outro. Nesse caso, já sabemos que o atual camerlengo é o cardeal Tarcisio Bertone e que ele assumirá o cargo em 01 de Março de 2013. Aparentemente não há nada que o ligue a essa profecia. No entanto, uma simples investigação na Wikipédia nos revelará que seu nome completo e o nome da cidade onde nasceu parecem fazer ligação com o profetizado “Pedro o Romano” [3]:

   Seu nome completo: Tarcisio PIETRO Evasio Bertone (Confira aqui)
   Sua cidade natal: ROMANO Canavese (Confira aqui)

Note que Pietro é Pedro em italiano. No entanto, outros – e parece ser a maioria – arriscam que “Pedro Romano” será mesmo um papa. Segundo essa interpretação, ele será natural de Roma e escolherá “Pedro” como seu nome papal. Mas isso é pouco provável, pois até hoje nenhum papa teve a ousadia de usar o nome de Pedro que, segundo a igreja católica, teria sido o primeiro papa. Se o fizesse, teríamos um Pedro II assumindo o pontificado.

Mas o fato é que Bento XVI renunciou e, finalmente, as profecias dos papas serão testadas. Eu disse “as profecias” porque, na verdade, existem outras. O interessante (e é por ser interessante que escrevo este artigo) é que estas supostas profecias se relacionam, tornando este momento particularmente eletrizante para quem se interessa pelo assunto. Vejamos a próxima.

A PROFECIA DO MONGE DE PÁDUA

Quando as profecias de São Malaquias foram descobertas nos arquivos do Vaticano, em 1590, vieram acrescidas de comentários também proféticos, assinados por um homem que se intitulava Monge de Pádua. Esses comentários também vêm se confirmando com grande precisão, sendo relativos aos vinte últimos nomes da lista de São Malaquias. Relaciono abaixo as últimas seis frases, com os papas correspondentes e o possível cumprimento de cada profecia:

“Homem de grande humanidade que fala francês”
João XXIII (Papa de 1958 a 1963)
Falava francês e foi núncio apostólico em Paris antes de se tornar patriarca de Veneza. Iniciou seu pontificado visitando prisioneiros em Roma e os pobres nos hospitais, mostrando seu valor humanitário.

“A sombra do AntiCristo começará a obscurecer a Cidade Eterna”
Paulo VI (1963-1978)
No dia 7 de dezembro de 1968, este papa declarou em um discurso que “a fumaça de Satanás” tinha penetrado na Igreja por alguma fenda.

“O pastor da laguna; seu reinado será tão rápido como a passagem de uma estrela cadente.”
João Paulo I (1978)
De fato, João Paulo I faleceu 33 dias após sua eleição.

“Virá de longe e manchará a pedra com seu sangue”
João Paulo II (1978 a 2005)
O Papa João Paulo II foi oriundo da Polônia (virá de longe) ao contrário da maioria dos papas, que foram italianos. O atentado sofrido em 1981 manchou de sangue a Praça de São Pedro.

“Semeador de paz e de esperança em um mundo que vive suas últimas esperanças”
Bento XVI (2005-2013)
A renúncia de Bento XVI, segundo ele mesmo, foi para o bem da igreja, postura que é vista por muitos como a de um pacificador.

"Ele chegará a Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte"
O próximo Papa. (2013 - ?)

Segundo o misterioso Monge de Pádua, o futuro papa não será italiano. Se ambas as profecias estiverem certas, se fortalece a interpretação de que “Pedro o Romano” não seria o papa, mas o cardeal camerlengo que governará durante o período de transição, conforme analisamos anteriormente.

Mas, como eu disse no início desse artigo, somente profecias que pareçam ter alguma base bíblica merecem minha atenção e estudo. De fato, esse é caso com as profecias dos papas que, segundo muitos intérpretes, relaciona-se com o capítulo 17 do livro de Apocalipse.

A PROFECIA DE APOCALIPSE 17

O capítulo 17 do livro do Apocalipse é dedicado a revelar o julgamento da “grande meretriz”, que seria uma organização (Política? Religiosa?) de alcance mundial, mas abominável aos olhos de Deus. O anjo revela uma possível localização geográfica para essa organização, a qual seria uma cidade (17:18) e estaria situada entre sete montes (v.9). Outras características também são deixadas para que possamos identificar o que seria essa “grande meretriz”. Ela seria riquíssima (v.4), teria tido relações ilícitas com os governantes da terra (v.2) e se embriagado “com o sangue dos santos e com o sangue das testemunhas de Jesus” (v.6). Para irmos direto ao assunto, muitos teólogos deduzem que essas características apontam para a Igreja Católica, a qual tem por sede o Vaticano, uma cidade-estado erigida em Roma, que é conhecida como a cidade das sete colinas. De fato, a igreja católica tornou-se riquíssima por meio de acordos políticos, através dos quais conseguiu domínios em toda a terra. Também é notório que muito antes da chamada “santa inquisição” a igreja católica patrocinava a perseguição e morte de qualquer um que discordasse de seus termos, inclusive assassinava crentes fiéis a Jesus. Mas, o que isso tem a ver com as profecias dos papas?

Nesse mesmo capítulo 17 do Apocalipse nos é revelado a respeito de sete reis, “dos quais cinco caíram, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco.” (v.10) Pois bem, estes sete reis seriam os sete últimos papas. E por que somente sete papas seriam mencionados no apocalipse, se a igreja católica teve mais de duzentos papas em sua história? A explicação é simples: somente em 1929, com o Tratado de Latrão, a igreja católica se tornou um estado e o papa, consequentemente, um chefe de estado – ou seja, na linguagem de dois mil anos atrás, um “rei”.

Se contarmos os “reis” da igreja católica, teremos a seguinte relação e contagem dos papas:

  1º) Papa Pio XI (1922 -1939)
  2º) Papa Pio XII (1939-1958)
  3º) Papa João XXIII (1958-1963)
  4º) Papa Paulo VI (1963-1978)
  5º) Papa João Paulo I (1978)
  6º) Papa João Paulo II (1978-2005)
  7º) Papa Bento XVI (2005-2013)

No entanto, assim como ocorre com a profecia de São Malaquias, o capítulo 17 do Apocalipse nos fala de mais alguém que governará, um personagem sinistro que está fora dessa lista e que viria após o sétimo “rei”:

“E a besta, que era e não é, também é ele o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.” (v.11)

Não pretendo aqui explicar o termo “besta”, uma vez que não é o objetivo desse artigo. O máximo que posso dizer é que muitos teólogos o identificam com o “anticristo”, uma figura maligna e mundialmente influente que surgiria no final dos tempos para perseguir a igreja e enganar o mundo [4].

Mas, voltando à nossa análise, note que há semelhanças entre esse oitavo rei do apocalipse e o vigésimo papa da lista do Monge de Pádua, que é também o 112º da lista de São Malaquias . Além de todos darem fim a cada listagem, o período de governo desse possível papa será de tribulação e terminará com a destruição da cidade entre as sete colinas. Segundo o Apocalipse, a cidade será consumida no fogo em um só dia (18:8), sua fumaceira será vista de longe (18:9) e todos terão que manter distância, por medo de seu tormento (18:10). Esse quadro lembra uma explosão nuclear, cujos efeitos da radiação obrigam as pessoas a manter distância do local atingido.

Em suma, as profecias que analisamos indicam que o sucessor do papa Bento XVI será o último líder da igreja católica apostólica romana. Não apenas isso, mas ele testemunharia a destruição do Vaticano e, possivelmente, de toda a cidade de Roma.

Contudo, não há motivo para pânico. O mais provável é que tais acontecimentos nunca venham ocorrer. A história demonstra que praticamente todos os intérpretes de profecias têm duas coisas em comum: primeiro, cada um deles tem a certeza absoluta de que está certo; e, segundo, o tempo comprova que todos estavam errados. O fato é que chegou o momento do teste final para as profecias dos papas e somente o tempo irá dizer se os seus intérpretes estavam certos ou não.

O que temos a fazer é prosseguir com nossas vidas, amando, vigiando e orando cada dia mais. Não por medo de um possível anticristo, ou de uma terceira guerra mundial, mas porque amar a Deus e ao próximo é o ensinamento de Cristo para qualquer discípulo, em qualquer tempo e em todo lugar.

Alan Capriles

[1] Um documentário do History Channel que explica a profecia de São Malaquias você encontra aqui.
[2] A lista completa dos papas profetizados por São Malaquias você encontra aqui.
[3] Sobre Tarciso Bertone você encontra informações aqui e aqui.
[4] Alguns crêem que o Papa João Paulo II ressuscitará e que ele é o anticristo(!). Assista o vídeo aqui

17 comentários:

HP disse...

Interessante a comparação entre as profecias, mas prefiro ficar com tua conclusão: Procurar amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a mim mesmo. Duas coisas que por si sós já me são impossíveis de fazer.

Só Cristo pode me salvar. Só Ele.

Abraços
Henrique

Georges disse...

Acho essa "profecia" uma bobagem semelhante às de NOstradamus, onde cabe praticamente qualquer interpretação. Veja que ela diz "Na última perseguição à sagrada Igreja Romana reinará Pedro o Romano"... desde quando a "sagrada igreja romana" vem sendo "perseguida"? A não ser que forcemos a interpretação e digamos que o comunismo, movimento gay etc, a perseguem... não, é bobagem.
Abraços
Georges (do blog "Doa a quem doer" - o apologético, não um outro de "fofocas gospel" que surgiu depois)...

Alan Capriles disse...

Hoje, 13 de Março de 2013, o novo papa foi escolhido e, como eu já esperava (e comentei no final deste post), ele não se encaixou nessas profecias. Seu nome não é Pedro e ele não é romano.

No entanto, o papa Francisco veio de longe (Argentina) o que se encaixa com a profecia do monge de Pádua: "Ele chegará a Roma de uma terra distante..." O problema é o final dessa profecia: "...para encontrar tribulação e morte". Será?

Como se vê, teremos que esperar ainda pelo papa que virá depois desse para que as profecias dos papas sejam definitivamente esquecidas. Se é que haverá próximo papa...
:)

Eduardo Santos disse...

Prezado Alan, gostaei muito de seu artigo, só discordo um pouco de sua conclusão. Analisando todas as profecias, vejo uma relação direta entre elas. Digo isso pelo seguinte: apesar do Páis do Vaticano ter sido criado em 1929, podemos considerar omo líder efetivo deste Pais o Para Pio XII, pois Pio I assumiu o papado antes da criação do Vaticano. Por isso, a meu ver, ele não é considerado na lista de chefes de Estado. Dito isso, podemos analisar e cruzar as profecias de Apocalipse com a do monge de Pádua, batendo exatamente com o descrito nelas. Por isso, creio ser Francisco o último Papa da Igreja Católica antes que venha a destruição definitiva desta pela Besta. As profecias estão se cumprindo, e temos que crer na volta iminente de Jesus Cristo.

Augusto disse...

Concordo com Eduardo Santos. Pois Pio XII foi o primeiro papa a ser nomeado Papa (Rei) dentro do formal recém criado oficial estado do Vaticano em 1929. E seguindo assim o sexto rei "existe" (Bento XVI não morreu) e quando o sétimo chegar durará pouco "seu reinado" (não digo através de morte ou renúncia, mas pelo fato de chegar o tempo do AC se manifestar e tomar o lugar do sétimo rei). Lembre-se q esse governo tem 7 cabeças (reis) que assim finalizado o seu tempo chegará o outro governo (AC) que assumirá o lugar do sétimo como o oitavo, o qual cuidará em reunir todos os reis da terra para a peleja contra o que está montado no cavalo branco. Acontecendo isso realmente se cumprirá q Papa Francisco saiu de um lugar longe para encontrar "tribulação e morte". A respeito de Pedro Romano (recém escolhido Francisco em 13/03), não poderia ficar tão fácil e evidente para os ímpios (que não vigiam e vivem em trevas) que o atual pudesse ter Pedro em seu nome de batismo ou que escolhesse o nome do Santo Pedro, mas sim o Santo Francisco de Assis, que era nascido no império Romano na cidade de Assis, que porventura tinha como seu nome de batismo "Pietro" que também em seu ministério trabalhou como "pedreiro" e ajudou a construir algumas igrejas, inclusive a igreja de "São Pedro" nos arredores da cidade de Assis. Também vejamos que o atual rei Bergoglio, apesar de nascido em Buenos Aires, é filho de pais imigrantes da Itália, que automaticamente possui cidadania Italiana (Romano). Pesquise sobre isso, sobre a descendência de italianos terem por direito cidadania mesmo que pais sejam imigrantes. Então está tudo cumprido. O sétimo rei que durará pouco, Pedro Romano que estará liderando seu rebanho (tentando os salvar como mártir) em meio à tribulações, e o q veio de longe para encontrar tribulação e morte. Os incrédulos não herdarão o futuro reino de Deus, tampouco acreditarão em profecias e mesmo acreditando, não entenderão. JC não virá antes do AC, mas somente virá uma e única vez para guerrear contra os reunidos pelo oitavo rei (AC) e para se encontrar com seus escolhidos q foram fiéis até o fim. Os q acreditam q JC vem antes serão enganados pois não acreditaram e amaram a verdade que os poderia salvar (II Tess 2:9-12) e assim adorarão aquele que vem em seu próprio nome e não aquele que vem em nome do pai (João 5:43). O homem que lê a palavra de Deus para entender não temé fé e por fim não entende nada, mas o que com fé lê para crer tem fé e por revelação divina acaba entendendo, pois "foi ocultado aos sábios e revelado aos humildes pequeninos". Fiquem na paz, no amor e na fidelidade a Jesus até a morte e "dar-te-ei a coroa da vida". Quem tem ouvidos ouça.

João Carlos disse...

Alan my brother!

Na citação ao Apc 18 eu e alguns hereges do naipe do Ricardo Gondim entendemos que fora cumprida nos atentados de 11 de Setembro.

Dá uma relida no capítulo lembrando de tudo o que vimos pela televisão, do quê significava o World Trade Center, o tempo entre uma queda e outra, etc...

Para mim, é praticamente impossível não traçar o paralelo. Depois comenta, quero ver o que você acha.

um forte abraço!

JC

Alan Capriles disse...

Prezados Eduardo Santos e Augusto,

O comentário que vocês fizeram a respeito de quando devemos começar a contagem dos reis (Apocalipse 17:9-11) faz muito sentido. Apesar de alguns vídeos que circulam na internet começarem a contagem com Pio XI, o mais correto seria mesmo iniciar com o próximo, Pio XII, que foi o primeiro papa a assumir o pontificado como chefe de Estado (rei). Sendo assim, encaixa-se perfeitamente a profecia em relação a Bento XVI: "um existe", ou seja, existe porque não morreu: renunciou. Preciso reconhecer que isso faz muito sentido! Aqueles vídeos interpretaram este "um existe" erradamente, como se referindo a João Paulo II por causa de sua fama. Obviamente, eles estavam errados.

Como eu já disse em meu comentário anterior, a profecia do monge de Pádua também se encaixa com o papa Francisco, pois de fato ele veio "de longe". O próprio Bergóglio disse que foram encontrá-lo "no fim do mundo", referindo-se a Argentina.

No entanto, ainda não consegui "digerir" a conexão entre Bergoglio e a profecia de São Malaquias. Parece-me um pouco forçada a relação entre o nome Francisco e o Pedro Romano.

Pretendo escrever outro artigo em breve, analisando o assunto e fazendo uma agradecida menção a vocês pelos comentários esclarecedores.

Deus lhes abençoe!

João Carlos disse...

Alan, "tô na tua bota", quero ver sua opinião about 9/11 and Revelation 18th...

Alan Capriles disse...

Oi, JC

Ainda não deu tempo de eu examinar com calma, o que pretendo fazer ainda hoje e talvez comentar amanhã. Mas a princípio creio que o fato profetizado em Apocalipse 18 ainda não se realizou. Minha interpretação é que se trata da destruição do Vaticano - talvez até de toda a cidade de Roma. Possivelmente por meio de um míssil nuclear. Por causa da radioatividade todos teriam que permanecer observando à distância. Mas vou analisar sob o ponto de vista que você mencionou e escreverei com mais detalhes assim que puder.

Um forte abraço, amigo!

apolo34 disse...

Olá a todos. Achei este site que contem algumas profecias antigas sobre Papas. Interessante, se forem verdadeiras, varias semelhanças entre elas, como exilio do Papa futuramente. Um abraço.
http://www.fimdostempos.net/profecias_papas.html

Ademir disse...

As duas testemunhas de apocalipse 11 são os Papas Bento XVI e Francisco (vestidas de saco foi assim que João as viu na ilha de Patmos!!! O sétimo rei de apocalipse 17 foi “Hitler” o oitavo eu ainda não sei mas subirá ja já ao poder a Europa esta anciosa que chegue logo esse dia!!! Abraços!!!

Alan Capriles disse...

Olá Ademir

Achei muito curioso seu comentário. Como você chegou a conclusão de que "As duas testemunhas de apocalipse 11 são os Papas Bento XVI e Francisco" e que "O sétimo rei de apocalipse 17 foi Hitler"?

Não faço a menor ideia de como você chegou a essa conclusão. Por favor, nos explique, pois não vejo nenhuma evidência que aponte para isso.

Deus lhe abençoe!

Fran e Ademir disse...

Olá Alan

Eu analisei pelos acontecimentos atuais, hoje o Vaticano possui dois Papas isso jamais aconteceu em toda historia da igreja. Não consigo acreditar Moises,Enoc,Elias aparecendo na nossa frente para cumprir a profecia de apocalipse 11 esse profetas já cumpriram a sua missão. Então vamos ser coerentes com a realidade e se você analisar todo o apocalipse 11 se encaixa perfeitamente aos dois últimos Papas da igreja acredite Francisco foi último papa da igreja não teremos mais Papas antes da volta do Cristo. E tem mais profecias de apocalipse se cumprindo veja a fusão comercial que vai ocorrer do Megabloco econômico entre EUA X união europeia cumprindo apocalipse 13 e tb capítulos 17 e 18. A prostituta (EUA) monta na besta (união europeia).Voltando as duas testemunhas elas não surgirão do nada, elas já estão ai na nossa frente acredite quem quiser os dois papas serão mortos ficarão expostos aos olhos de todos e ressuscitarão maravilhosamente leia o capitulo.

Abraços

Fran e Ademir disse...

Com relação a Hitler quando joao estava na ilha de patmos ele escreveu que cinco impérios haviam caído um se mantinha na época dele que era(império romano)agora eu te pergunto apos império romano qual império tentou conquistar o mundo de forma tão agressiva antes de Hitler que com certeza estava possuído por satanás e odiava tanto judeus!!!( O holocausto ficara na memoria de todos para sempre) e na profecia de apocalipse capítulos 17 e 18 joão diz que esse império duraria pouco tempo e foi mesmo só 12 anos. Então vc cruza as informações bíblicas com a historia e você vai montando o quebra cabeça.

E de tudo o que esta acontecendo só temos que aguardar se eu estiver errado paciencia!!!

Fran e Ademir disse...

Quando o Papa Francisco diz que ele é o papa do "Fim do Mundo" com certeza ele está dando duplo sentido para sua fala!!!pensemos!!!

Daniel C Rocha disse...

Perfeito o teu comentário Augusto.Faltou dizer uma coisa:Em meio ao triunfo do mal com o AC assumindo o poder e a riqueza de Roma, Jesus Cristo arrebatará a sua verdadeira Igreja. Cremos todavia que não veremos o AC no poder, pois seremos levados antes disto ( o começo do seu reinado) e a grande tribulação começará na terra com a susencia dos verdadeiros crentes neste mundo. Daniel Rocha

Pais que é a joia da terra disse...

Será que não estaremos aqui na terra quando o anticristo se manisfestar? apocalipse 13

7. Foi-lhe dado, também, fazer guerra aos santos e vencê-los. Recebeu autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação,
8. e hão de adorá-la todos os habitantes da terra, cujos nomes não estão escritos desde a origem do mundo no livro da vida do Cordeiro imolado.
9. Quem tiver ouvidos, ouça!
10. Quem procura prender será preso. Quem matar pela espada, pela espada deve ser morto. Esta é a ocasião para a constância e a confiança dos santos!
11. Vi, então, outra Fera subir da terra. Tinha dois chifres como um cordeiro, mas falava como um dragão.
12. Ela exercia todo o poder da primeira Fera, sob a vigilância desta, e fez com que a terra e os seus habitantes adorassem a primeira Fera (cuja ferida de morte havia sido curada).
13. Realizou grandes prodígios, de modo que até fez descer fogo do céu sobre a terra, à vista dos homens.
14. Seduziu os habitantes da terra com os prodígios que lhe era dado fazer sob a vigilância da Fera, persuadindo-os a fazer uma imagem da Fera que sobrevivera ao golpe da espada.
15. Foi-lhe dado, também, comunicar espírito à imagem da Fera, de modo que essa imagem se pusesse a falar e fizesse com que fosse morto todo aquele que não se prostrasse diante dela.