sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

UMA RESPOSTA (PÓSTUMA) A GEORGE CARLIN


Por Alan Capriles

Um dos vídeos de maior sucesso na internet, especialmente entre os ateus, é o trecho de uma apresentação do comediante George Carlin, já falecido, na qual ele, que era também ateu, zomba de Deus:

“A religião foi capaz de convencer as pessoas de que existe um homem invisível, vivendo no céu e que vigia tudo o que fazemos, o tempo todo. O homem invisível tem uma lista de dez coisas que ele não quer que a gente faça. Se você fizer qualquer uma dessas coisas, o homem invisível tem um lugar especial, cheio de fogo, fumaça, sofrimento, tortura e angústia onde ele vai lhe mandar viver, queimando, sofrendo, sufocando, gritando e chorando para todo o sempre. Mas ele ama você!” (George Carlin)

As gargalhadas do auditório me motivaram a escrever uma reposta a George Carlin, ainda que póstuma. Porque creio que isso não seja mera zombaria. Essas gargalhadas revelam também a ignorância de grande parte da sociedade a respeito de Deus e a enorme parcela culpa que nosso cristianismo tem por essas pessoas agirem assim.

Segue-se minha resposta a cada frase dita por Carlin nesse vídeo:

1º) “A religião foi capaz de convencer as pessoas de que existe um homem invisível, vivendo no céu e que vigia tudo o que fazemos, o tempo todo.”

A religião, incluindo o cristianismo, pode ter inventado isso, mas não o Cristo. Em primeiro lugar, Deus não é um homem, pois não é um ser existencial e transitório. Nesse sentido, nem sequer é correto dizer que Deus existe, pois o existir depende de um criador. Deus não foi criado, Deus é. Por isso Jesus Cristo, que é Deus encarnado, disse: “antes que Abraão existisse, ‘Eu Sou’”.

Em segundo lugar, Deus não é um ser invisível. Deus está além e acima da matéria, razão pela qual Jesus afirmou que Deus é espírito.

Em terceiro lugar, a idéia de “céu” expressa por Carlin é um tanto infantil. Obviamente, ele desconhece que o lugar onde Deus habita não é o céu que está acima de nossas cabeças, mas sim, uma dimensão espiritual.

Em quarto lugar, a ocupação de Deus não é vigiar tudo o que fazemos. A questão é simplesmente esta: Deus já sabe até o que iremos fazer. Deus está acima do tempo. Isso não significa que Deus fique nos vigiando, muito menos “o tempo todo”, o que seria ridículo.

2º) “O homem invisível tem uma lista de dez coisas que ele não quer que a gente faça.”

A questão não é “que ele não quer que a gente faça”. A questão é que essas dez coisas, às quais Carlin se referiu, são as orientações de Deus para uma vida plena e sadia: os dez mandamentos. Se nós não os seguirmos, o problema será nosso, não de Deus. Ou será que Carlin preferia uma sociedade baseada na idolatria, na mentira, no roubo, no adultério, na cobiça, no homicídio, no trabalho sem descanso? Imagine o caos que seria, se todos decidissem viver assim, sem limites...

3º) “Se você fizer qualquer uma dessas coisas, o homem invisível tem um lugar especial, cheio de fogo, fumaça, sofrimento, tortura e angústia onde ele vai lhe mandar viver, queimando, sofrendo, sufocando, gritando e chorando para todo o sempre.”

Esse lugar, ao qual Carlin se refere, não existe. Pelo menos, não da maneira fantasiosa como ele o imagina: um “lugar especial”, para o homem “viver”.

Primeiro que não é um lugar preparado para o homem. O Livro das Revelações nos ensina que esse lugar de castigo eterno foi preparado para o diabo e seus anjos (os demônios).

Em segundo lugar, não há homem que nunca peque. Qualquer um de nós já transgrediu os dez mandamentos – e fizemos isso por diversas vezes. O pecado é inerente ao ser humano. Sendo assim, não faz sentido a expressão usada por Carlin: “Se você fizer uma dessas coisas...” Ora, todos nós já fizemos uma dessas coisas, cada um de nós. Ninguém é salvo pela Lei de Deus. A Lei serve para nos mostrar o quanto somos pecadores e estamos longe do padrão de Deus.

Em terceiro lugar, Deus não quer que tenhamos esse terrível destino. A vontade de Deus é que nenhum de nós pereça, mas que todos sejamos salvos. O fato é que o ser humano se afasta de Deus de tal maneira, que ele mesmo se condena, ao se tornar semelhante ao diabo, sendo egoísta, soberbo e mau.

4º) “Mas ele ama você!”

Nesse ponto Carlin acertou! Deus nos ama tanto, que nos permite escolher entre viver para sempre com Ele ou morrer sem Ele. Se alguém se agrada em viver como o diabo, não há nada mais justo que, após a morte, sua alma continue com o diabo. E Deus permite isso! O fogo eterno foi preparado para o diabo, mas todo aquele que se identificou com ele, o diabo, terá o mesmo destino. Seria uma injustiça da parte de Deus se não fosse assim, não é? Afinal de contas, alguém que não se incomoda em ser egoísta, soberbo e mau não iria querer o céu - um lugar de cheio de amor, justiça e bondade.

No entanto, para os que se reconhecem pecadores e estão arrependidos, Deus providenciou salvação em seu Filho, Jesus Cristo, que nos justifica de todo pecado. Nossa fé em Jesus não nos salva apenas do inferno após a morte, mas nos salva de sermos um diabo nesta vida. Quanto mais temos um relacionamento pessoal com Jesus, mais parecidos com ele nos tornamos.

E talvez seja isso que Carlin não tenha entendido. Mas eu não o culpo. Há muitas pessoas que se dizem cristãs, mas que continuam sendo egoístas, soberbas e más. São pessoas que conheceram o cristianismo, mas que, com toda certeza, ainda não conheceram o Cristo. Falsos crentes, que fortaleceram a munição para as piadas de George Carlin e que continuam aumentando a fileira de ateus pelo mundo.

Alan Capriles

6 comentários:

René disse...

Irretocável, essa sua resposta!!!!

Abração e continue na Paz!

Alan Capriles disse...

Valeu, meu amigo! Glorifico a Deus por isso.

Um forte abraço,
na Paz do Senhor Jesus!

gerson disse...

Só mim responda uma coisa, sendo Deus conhecedor de tudo,ou seja, ele sabia da maldade do homem, de uma criança que é estrupada a cada 15 minutos, dos drogados, dos escravos que foram massacrados durantes seculos, e resumidamente de todo o lixo da sociedade, porque que tudo isso existe, se tem um ser que pode acabar com todo esse sofrimento, quer dizer se eu for pro inferno, deus já sabia antes de eu nascer, então ele mim fez mesmo assim ? apenas para ver meu sofrimento?

gerson disse...

Só mim responda uma coisa, sendo Deus conhecedor de tudo,ou seja, ele sabia da maldade do homem, de uma criança que é estrupada a cada 15 minutos, dos drogados, dos escravos que foram massacrados durantes seculos, e resumidamente de todo o lixo da sociedade, porque que tudo isso existe, se tem um ser que pode acabar com todo esse sofrimento, quer dizer se eu for pro inferno, deus já sabia antes de eu nascer, então ele mim fez mesmo assim ? apenas para ver meu sofrimento?

Leonardo disse...

Como é fácil criar um mundo cheio de fantasia. Falar sobre todas essas bobagens de mundo espiritual é fácil. Apenas acreditar não é evidência, dessa forma cada um cria seu próprio mundo e vive dentro dele. A biblia é repleta de violência, contradições e termos obscenos. Cada um traduziu à própria vontade e deu a interpretação que veio a cabeça. Daí um bando de idiotas seguem este livro medíocre sem valor lógica nenhuma usado apenas para alimentar mais ainda a ignorância humana. E sei que você não vai publicar isso, mas vai ver o recado.

Alan Capriles disse...

Prezado Leonardo,

Publiquei seu comentário, talvez para o seu espanto. Lamento que você não tenha contra-argumentado meu artigo, o que seria o princípio de um debate sadio. Então, por que publiquei seu comentário?

Simplesmente para mostrar o tipo de resposta agressiva e mal educada que recebo de pessoas fanáticas pelo ateísmo. Engraçado como não recebo comentários assim de pessoas adeptas de qualquer forma de religião. Nem mesmo satanistas são tão agressivos quanto os ateus militantes.

Sua postura é uma evidência do quanto o fanatismo antirreligioso (assim como o fanatismo religioso) é prejudicial à alma. Ah, desculpe, você não acredita em alma...

Para não ficar só nas minhas palavras, indico a rica leitura do texto de um possível ateu, que faz uma necessária autocrítica ao ateísmo.

http://bertonesousa.wordpress.com/2012/12/11/o-problema-da-militancia-ateista/#more-341

"Os ateus precisam se vacinar contra a intolerância para não serem o equivalente antirreligioso das atitudes religiosas que combatem."

Sem ressentimentos e na esperança de que as evidências do Criador possam ser vistas também por você.