quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

LIVROS APÓCRIFOS

Quando se fala em “livros apócrifos”, a maioria dos evangélicos imagina os escritos deuterocanônicos, ou seja, aqueles que constam no Antigo Testamento da Bíblia católica, mas que não existem na Bíblia protestante.

Mas o termo apócrifo, que significa “oculto”, refere-se principalmente a textos antigos que, apesar de terem sido considerados como sagrados por alguns cristãos até o quarto século, acabaram sendo deixados de fora do cânon bíblico, tanto católico romano, quanto protestante.

Existem mais de cem livros apócrifos. Alguns quase chegaram a ser incluídos entre os livros que hoje compõem a Bíblia, como a Epístola de Barnabé e o Proto-evangelho de Tiago. Este último era bastante mencionado pelos chamados “Pais da Igreja”, como Orígenes, Clemente, Pedro de Alexandria, São Justino e São Epifânio, numa época anterior à canonização definitiva da Bíblia.

Particularmente, não creio que devamos desprezar os livros apócrifos apenas porque não fazem parte da seleção de livros inspirados. E, antes que me interpretem mal, quero enfatizar: creio na inspiração divina dos sessenta e seis livros da bíblia sagrada protestante.

O que defendo apenas é que uma pessoa madura espiritualmente deve examinar tudo, inclusive o conteúdo dos livros apócrifos, e reter somente o que é bom.

Martinho Lutero dizia, com respeito aos livros deuterocanônicos, que estes "eram de leitura proveitosa e grata, mas não deviam ser considerados iguais à Escritura Sagrada." O mesmo digo em relação a certos livros apócrifos. Não os considero iguais aos escritos da Bíblia, muito menos necessários para nossa fé cristã, mas tão somente de grata e proveitosa leitura.

Sendo assim, comunico que, eventualmente, estarei publicando trechos de alguns livros apócrifos que tenho em minha biblioteca, e que considero edificantes, pois em nada contradizem os escritos da Bíblia Sagrada, antes pelo contrário, os confirma.

Que ninguém me julgue como herege por causa disso.

Alan Capriles

8 comentários:

J. Fabio Scofield disse...

Olá! Amado Pastor Alan, Graça e Paz...

Saudades do amado irmão, e dos seus sábios comentários que muito enriquecê o meu humilde trabalho.

Quanto ao tema da sua postagem, por certo será muito edificante,estarei aguardando as suas postagens para que eu possa fazer os devidos comentários.
Deus abençoe ricamente sua vida...

disse...

Interessante estava conversando sobre isso esta tarde com meu marido sobre estes livros. Legal você publicar alguns trechos para seus leitores. Paz!

Alan Capriles disse...

Amado pastor Fábio

Também sinto saudades do irmão. Faz tempo que não nos comunicamos!
Realmente, preciso visitar mais vezes sua página e ser edificado com os excelentes artigos que nela encontro. Andei meio "sumido" devido a uma série de fatores, mas parece que as coisas estão agora se normalizando.
Aproveito para enviar saudações a toda sua família, que amo de coração.
Deus lhes abençoe cada dia mais!

Alan Capriles disse...

A paz, Rô!

Fico feliz em saber dessa "cristocidência"! Como nada é por acaso na vida de um servo de Deus, creio que é uma confirmação para que eu siga em frente.

Sendo assim, ainda hoje publicarei algo apócrifo, mas que considero muito interessante.

Graça e paz!

Rita disse...

Paz do Eterno,
Muito me alegro por encontrar alguém mais com quem compartilhar meu gosto pelos Apócrifos,que aliás não só considero grata e proveitosa leitura,mas necessária,examinar tudo e reter o bem é uma orientação que todos deviam considerar nesse assunto,pois ja li em Apócrifos profecias que como no texto acima de Isaías ja se cumprem,assim como outras que concordam com a Bíblia,é o caso do livro de Enoque ,que contém profecias sobre Jesus e fim dos tempos,e eu particularmente sinto por muitas pessoas não só ignorarem os Apócrifos, como outras tantas que nem se quer sabem de sua existência,temos claro que ter discernimento nessas leituras,alguns Apócrifos contém um certo grau de gnose que torna polêmica de certa forma sua leitura,mas nada que não posamos ler com moderação,examinando tudo...
Deus o abençoe por trazer essas mensagens,muitos irmãos poderão ter crescimento espiritual a partir delas também.

Paz e graça!

Alan Capriles disse...

Graça e paz, Rita!

Também alegra-me saber que você conhece os apócrifos e os aprecia, com a devida precaução, é claro. Como você mesma disse, há muitos livros apócrifos cheios de conteúdo gnóstico, que devem ser "peneirados".

Agradeço imensamente por seu apoio e incentivo. Espero que você continue enriquecendo nossos artigos com seus comentários, que são sempre bem vindos.

Deus lhe abençoe cada dia mais!

Rosimary disse...

Graça e paz Pr.Alan,achei interessante este artigo sobre livros apócrifos,mesmo porque quando se conhece o modo de formação da Bíblia fica a pergunta,poderiam ter incluído livros como o de Enoque,que já li alguns versículos e achei interessante,fico preocupada como excluíram alguns livros mas incluíram versículos que não constavam no original,chego a pensar que havia alguma razão por trás disto,continue nos ensinando.Fica com Deus.Sua amiga e irmã em Cristo do Guarujá.

Alan Capriles disse...

Amiga Rosimary

Muito bom seu comentário. Você acertou em cheio ao afirmar que "excluíram alguns livros mas incluíram versículos que não constavam no original". Talvez eu escreva sobre isso também.

Graça e paz!