quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

DEIXAI-OS


Já cansei de participar de debates em comunidades, fóruns e mesmo blogs na internet, gastando minutos e até horas de meu precioso tempo para defender minha opinião. Não foram poucas as vezes que deixei de estar com familiares e amigos para debater com pessoas que, muito provavelmente, não dão a mínima para quem sou. Mas, como acabo de dizer: cansei.

E o meu cansaço não se deve apenas ao acúmulo de vezes em que debati pela internet. Estou cansado principalmente porque percebi o quanto é inútil discutir opiniões. Isso mesmo: inútil. Simplesmente não vale a pena qualquer tentativa de se tentar provar que está certo. Não vale a pena entrar em debates, discussões - é tempo perdido. Dentro de uma arena pública, como é qualquer espaço para comentários na internet, ninguém jamais assume estar errado. Eu, pelo menos, nunca vi alguém reconhecer seu equívoco dentro de um debate público. O orgulho não deixa. Mesmo quando uso textos e mais textos bíblicos, isso de nada adianta, porque me devolvem outro tanto de versículos a fim de se justificar qualquer heresia.

Agora mesmo, por exemplo, posso apoiar minha decisão com a passagem bíblica de Tito 3:8-10, que nos orienta usar nosso tempo com boas obras, que são “coisas excelentes e proveitosas a todos os homens”, e não com discussões e contendas, que “não tem utilidade e são fúteis”. Ou ainda, embasar meus argumentos com o conselho do Senhor aos discípulos, a respeito dos que lhe redargüiam: “Deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco.” Mas estou ciente de que, mesmo assim, valendo-me dos textos que o Espírito Santo usou para me dar essa direção, isso não é o bastante para calar os contradizentes. Fazer o que? Ora, “deixai-os”, foi o que o Senhor me ordenou fazer. E é o que estou fazendo.

Sendo assim, em obediência à direção do Pai, decido não participar mais desse tipo de coisa. Chega de me desgastar em debates. Não cairei mais nessa armadilha do ego, a de tentar provar que estou com a razão. Sei de pessoas que insistiram nessa tentativa frustrante e acabaram mal, algumas prejudicando a família, outras entrando em depressão. E a troco de que isso? De ser mais popular? De ter mais seguidores no blog? Mais “amigos” no facebook? Armadilhas do ego...

Foi por esse motivo que, num primeiro momento, retirei de meu blog o acesso aos comentários. Mas, em respeito à liberdade de expressão, voltei atrás. Decidi então por um caminho menos radical, que se resume em duas resoluções, que compartilho e explico a seguir:

1ª) Não permitirei mais comentários de anônimos, porque o anonimato serve apenas para acobertar os covardes e os mal educados, que só querem macular meu espaço;

2ª) Continuarei publicando todos os comentários identificados, mas não entrarei em debates nesse espaço. Se alguém desejar um debate mais sadio, aconselho que escreva para o meu e-mail.

Imagino como isso deve parecer antipático de minha parte, mas não é a impressão que desejo passar. Antes, tão somente espero que eu mesmo seja salvo de defender minhas opiniões, de não ser cegado pelo orgulho, exercitando assim a própria mansidão e humildade que almejo um dia alcançar, no mais absoluto respeito à sua própria liberdade de expressão.

Portanto, querido seguidor deste blog, conto com sua compreensão, orações e, é claro, com a continuidade de seus comentários, que serão sempre bem-vindos. E, de minha parte, vocês podem contar com mais textos, pois agora me sinto novamente leve e mais livre para escrevê-los, com a permissão e ajuda de Deus.

No amor de Cristo,
Alan Capriles

Nenhum comentário: