sábado, 9 de julho de 2011

ISSO NÃO É PREGAR O EVANGELHO


Por Alan Capriles

Circula um vídeo na internet no qual pregadores são detidos pela polícia por estarem pregando contra a prática homossexual. Particularmente, sou totalmente a favor da liberdade de expressão, motivo pelo qual discordo da atitude daqueles policiais. No entanto, não é por isso que escrevo estas linhas, mas por achar equivocado e perigoso o argumento usado por um dos pregadores detidos. Sua alegação para não ser preso era a de que eles estavam somente "pregando o evangelho". Mas, será que estavam mesmo?

O que é pregar o evangelho? Será que dizer qualquer coisa a respeito de Jesus, ou ler qualquer trecho da Bíblia é realmente estar pregando o evangelho?

Pra começar, a maioria dos pregadores atuais não sabe nem sequer definir o que é o evangelho de Cristo, muito menos pregá-lo! Esse é um problema seríssimo, com graves consequências espirituais. Confundem evangelho com promessas de milagres, sucesso, riquezas, ou, como se vê neste vídeo, com ataques contra os pecadores.

Além disso, muitos pregadores utilizam-se publicamente de textos bíblicos que não serão compreendidos por todos os ouvintes (1Co 2:14). É o caso do vídeo que mencionei. Apesar do áudio da filmagem estar péssimo, é possível identificar a leitura da carta aos Romanos, exatamente no trecho em que Paulo menciona e condena a prática homossexual (Rm 1:26-32). Mas, apesar de Paulo ter escrito mesmo isso, duas coisas precisam ser lembradas. Primeiro, que ele estava escrevendo dentro de um contexto, tratando-se de uma carta para irmãos em Cristo, que tinham o discernimento espiritual para compreender seus argumentos. E, segundo, que Paulo, o apóstolo, não pregava desta maneira, apesar de assim escrever.

Como se sabe, o homossexualismo não é algo que só aconteça atualmente. Dados históricos revelam que a prática homossexual era ainda mais comum nos dias de Paulo de Tarso do que nos nossos. No entanto, em nenhuma de suas pregações públicas ele ataca os homossexuais. Aliás, nenhuma das pregações do evangelho reveladas no livro de Atos contém qualquer tipo de ataque contra alguma prática pecaminosa específica. Se alguém duvidar, basta que se confira nas seguintes referências: Atos 2:14-41; 3:12-26; 4:8-12; 5:29-32; 10:34-43; 13:16-41; 17:22-31.

Isso acontece por uma simples razão: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus." (Rm 3:23,24)

Ora, se qualquer pecado nos afasta da glória de Deus, os que praticam o homossexualismo são tão pecadores quanto os adúlteros, ou fornicadores, por exemplo. E práticas sexuais ilícitas são também tão graves quanto qualquer outro pecado, tais como a ganância, o ódio, ou a hipocrisia - males tão comuns entre tantos religiosos.

Portanto, é um equívoco atacar determinada prática pecaminosa, como se não fôssemos todos pecadores, cuja única esperança está em Jesus Cristo, o justo e justificador de todos os que nele crêem. Atacar aos homossexuais não é pregar o evangelho, mas promover uma discórdia totalmente improdutiva. Essa discurso agressivo tem erguido muralhas, ao invés de pontes, muralhas que impedem os homossexuais de enxergar o quanto Deus os amou, a ponto de dar-nos seu único Filho, Jesus Cristo, o qual é poderoso para nos libertar de qualquer prática pecaminosa e nos transformar em verdadeiros filhos de Deus, que vivam para sua glória e eternamente.
Alan Capriles

21 comentários:

disse...

Não entendi, quer dizer então que Paulo menciona e condena a prática homossexual (Rm 1:26-32). E o que você quer dizer então?? Você quer dizer que não devemos pregar para não parecer que estamos atacando??? Primeiro você é a favor da liberdade de expressão, mas até que ponto podemos ir nesta tal "liberdade" que você é a favor??? Não entendi, todo homossexual como adúltero é pecador como qualquer um de nós é pecador. Mas só porque sou pecadora redimida como todos os meus irmãos que confessam ao nosso advogado Jesus, só porque que sou pecadora não poderei mais pregar?? É isso que você quer dizer em seu texto Alan?? Não entendi Alan. Paz.

Alan Capriles disse...

A paz, Rô!

Não entendeu? Leia as referências bíblicas que eu recomendei, ou então faça uma releitura de todo o livro de Atos. Ou então, me diga que parte do artigo não entendeu, para que eu possa esclarecer melhor.

Graça e paz!

disse...

Quer dizer que os profetas do A.T não pregavam contra as práticas pecaminosas de Israel e das nações vizinhas? E o que dizer de João Batista que repreendeu o Rei Herodes em público pelo pecado de adultério?

A meu ver em Atos 14 e Atos 17, Paulo prega veementemente contra a idolatria porque o contexto em volta era idolátrico. Caso fosse uma discussão sobre a prática homossexual você pregaria contra o homossexualismo. Ou seria incoerente com o que escreveu aos Romanos (Rm.18-32)? Paz e desculpe não concordar contigo.

Alan Capriles disse...

Rô, antes de tudo, quero dizer que muito me alegra sua participação em meu blog, ainda que seja para discordar. Você sabe que a tenho em grande estima. Mas a verdade é que não tenho a pretensão de que você concorde comigo, nem nesse texto e nem em qualquer outro que eu escreva.
Mas, como talvez eu não tenha mesmo sido muito claro em minhas colocações, preciso enfatizar que a questão principal do meu artigo é "O que é pregar o evangelho?"
Já que isso não ficou bem entendido, pretendo escrever um novo texto, com provas bíblicas claras de que PREGAR O EVANGELHO NÃO É DIZER QUALQUER COISA QUE ESTEJA ESCRITA NA BÍBLIA. Uma coisa é pregar o evangelho, outra coisa é ler trechos da Bíblia. Mas hoje, uma pessoa lê Dt 28, por exemplo (ou Rm 1:18-32), e diz que está pregando o evangelho. Mas não está! Quem não compreende esta diferença, apenas reforma minha tese de que "a maioria dos pregadores atuais não sabe nem sequer definir o que é o evangelho de Cristo".

Quanto aos textos de Atos, que você mencionou, vemos Paulo pregando com sabedoria e, sobretudo, com amor. Ele queria salvar aquelas vidas e não condená-las ao fogo eterno.
Mas, repito, não tenho pretensões de que você concorde comigo. Pra ser sincero, eu ficaria muito surpreso se você concordasse. Mas agradeço, de coração, por seus comentários.

Um forte abraço,
na graça e paz do Senhor Jesus!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Misericórdia! Se isto aí for pregar o Evangelho eu sou a Madre Tereza de Calcutá! Alan, to morrendo de rir da Rô aqui. Olha, você já disse tudo, o que posso dizer mais? Isto aí simplesmente não é pregar o Evangelho. Evangelho é boa notícia, se eu entro na casa do cara e conto a ele que ele irá para o inferno é um péssima notícia e portanto não é boa nova ou Evangelho. Agora se eu lhe conto que Deus estava em Cristo selando a paz entre ele e Deus, aí a coisa muda totalmente. Jesus não acusou a Samaritana, ela foi quem tocou no assunto que não tinha marido. Jesus ofereceu água viva e não juízo a Samaritana. É tudo muito simples assim. Quem acusa é o diabo, nós como discípulos levamos a boa notícia o Amor unilateral do Eterno. Ótimo comentário, estou com você.

Alan Capriles disse...

Valeu, Cláudio!

Você simplificou tudo: é boa notícia, e não má notícia. Simples assim. E ainda bem, porque não dá pra imaginar você de Madre Tereza de Calcutá, não, meu amigo, rsrs...
Um abração!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Gargalhadas. Pois é! Eu de madre Tereza seria lançado na hora na galeria mais quentinha do inferno kkkk. Valeu.

disse...

Alan, condenar a prática homossexual não é condenar a pessoa, foi isso que Paulo fez e todo cristão faz e é confundindo como hitlerista, nenhum cristão condena pois não somos juízes, isso é com Deus não temos este poder. No caso deste vídeo aí esta pessoa não tem preparo para isso só isso.
Você e maninho estão confundindo as coisas. PAZ!

Rosimary disse...

graça e paz Pr.Alan

Entendo oque a Rô disse,pois por muito tempo eu também agi assim,achava que pregar o evangelho seria mostrar seus erros,mas hoje mudei minha postura,falo a eles a verdade,digo sobre o sacrifício de Cristo e a necessidade de uma real mudança de vida,pois em Timóteo 2diz;E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos.Desta forma não vale a pena atacar e sim pregar somente a Cristo,e Cristo crucificado.Abraços a Rô.

Alan Capriles disse...

Querida Rô,

Por favor, não subestime nossa inteligência. Sabemos muito bem que condenar a prática homossexual não é condenar a pessoa. A questão, que já disse (e repito, por amor) é que pregar o evangelho (evangelho = boa notícia) é uma coisa, mas dizer qualquer trecho da Bíblia é outra.

Nem todos os trechos da Bíblia são apropriados para uma pregação do evangelho. Todos são apropriados para o ensino de quem já se converteu (de quem tem o Espírito Santo) mas nem todos devem ser lançados em público. Lembre-se do que Paulo disse:
"Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." (1Co 2:14)

Mas, como você mesma concorda que "esta pessoa não tem preparo para isso", ou seja, para pregar, me parece que não discordamos. Desde o início ficou claro pra mim que você apenas estava confundindo qualquer pregação pública com pregação do evangelho. Como o Cláudio muito bem nos lembrou, evangelho é uma boa notícia, não má notícia.

Jogar na cara dos homossexuais que a prática deles é pecaminosa, nunca surtirá efeito de conversão. Mas, dizer a eles que TODOS nós somos pecadores e que por causa de nossos pecados Jesus precisou morrer na cruz em nosso lugar, a fim de nos reconciliar com Deus e nos transformar em novas criaturas, que vivam para glória de Deus - isso sim é pregar o evangelho. Que notícia maravilhosa, que atrai os pecadores para o amor de Deus!!!

Portanto, aqueles dois precisam compreender o que é o evangelho, porque, como você disse, eles estavam despreparados.

Querida amiga, não creio que nós discordemos, apenas não fui muito claro em minhas colocações.

Um forte abraço,
na graça e paz do Senhor!

disse...

Não substime a minha inteligência também Alan rss. Já estamos cheios de inimigos fora, como a imprensa comandada por homossexuais, grupos LGBT, Marta Suplicy, Jean Wilians. Portanto não precisamos que os de dentro deixam de pregar a verdade. POis Evangelho é amor com verdade "Palavra" pois amor sem verdade
(justiça) não influencia a ninguém, no caso deste irmãozinho aí ele esta pregando mais em defesa da igreja por causa de tanta perseguição da parte LGBT. Jesus disse: "arrependei-vo",ISTO É, mudança de vida e não de tolerância com o pecado. Quanto ao vídeo, estas prestando um desserviço a igreja, pois não vemos gays acusando execessos cometido por outros gays em passeatas,me desculpe meu irmão, mas não devemos tirar o diereito de um cidadão pregar em local público por que estamos em um país livre e ele pode pregar o que quiser até contra o pecado homossexual, pois Paulo condena a prática, ele pode não saber como falar direito, ams pode sim pregar contra estas práticas sim. E depois meu amigo, com base em que a policia queria prende-lo? com base em que lei? por Bullying, racismo?? Não temos mais liberdade de expressão?? não se pode mais discordar neste país?? A maconha é crime, se você for para praça pública fazer apologia dela, você é preso, agora se for em uma passeata o STF contrariando a lei existente diz que é liberadde de expressão, agora pregar contra o homossexualismo não é crime, agora querem prender quem prega na praça. Rosimary, obrigada mana. Paz!!

Alan Capriles disse...

Rô, às vezes tenho a impressão que você não lê direito meus artigos. Parece-me que nem os lê até o fim.

De onde você tirou que eu estou dizendo que o pregador não é livre pra pregar o que quiser?

É claro que ele é livre para pregar contra as práticas homossexuais. E é claro que (por enquanto) a polícia não tem o direito de prendê-lo por isso.

A questão (como eu já disse, mas parece que você não quer mesmo entender) é que ele está chamando de "pregação do evangelho" o que não é pregação do EVANGELHO. É tão difícil você entender isso?

Não conheço ninguém que seja mais a favor da liberdade de expressão do que eu mesmo. Releia o meu artigo chamado "O Direito de Dizeres", o qual você até comentou, mas com certa ironia, o que é lamentável.

Você está tentando (novamente) sair do foco do meu artigo. As perguntas que você fez estão todas respondidas nele. Não mude minhas palavras, por favor, pois isso é covardia.

Por exemplo, vc perguntou: "com base em que a policia queria prende-lo?" Meu artigo responde claramente: "discordo da atitude daqueles policiais"

Você perguntou também: "Não temos mais liberdade de expressão?" E o meu artigo responde: "sou totalmente a favor da liberdade de expressão".

Você leu realmente meu artigo? Se leu, por que estas perguntas? Se isso não é mudar o foco, é o que então?

Rô, me desculpe a franqueza, mas acho uma perda de tempo (seu e meu) ficar nesse debate, que já foi mais do que esclarecido. Se quiser discutir, visite o Genizah. O nome deste blog é "A Verdade em Amor".

E se você acha que meus artigos, ou os vídeos que eu divulgo, prestam um "desserviço a igreja" (como você escreveu) esteja a vontade para deixar de segui-lo e de divulgá-lo também. Digo isso em amor, para que você fique em paz.

"Evita discussões insensatas"
(Tito 3:9a)

Que o Senhor Jesus lhe abençoe.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Alan e Rô, amados do Senhor Jesus. Na verdade toda a discussão que está rolando aqui chama-se ruídos de comunicação, apenas isto. Vocês dois estão do mesmo lado, no mesmo Reino, cujo o Rei é o Senhor Jesus. Peço que ambos se acalmem, pois é fato que nenhum de nós é contra a revelação de Deus. As Escrituras afirmam o pecado homossexual, portanto todos concordamos. O texto do Alan não aborda ou defende que não seja pecado, mas tão somente que primeiro vem o arrependimento e a conversão, a mudança de mente, a presença do Espírito Santo que convence do pecado, da justiça e do juízo e posteriormente a santificação que abandona o pecado. A Rô, defende o direito de ir e vir e pregar onde se queira. Na verdade vocês dois só estão se completando. Não há controvérsia alguma entre vocês, estão tratando de assuntos diferentes apenas, ou outros aspectos do mesmo assunto. Paz e paz AOS DOIS!

Alan Capriles disse...

Cláudio, agradeço por sua mediação.

Já deixei claro isso que você acaba de escrever, quando eu mesmo escrevi em meu penúltimo comentário, direcionado a Rô: "Querida amiga, não creio que nós discordemos" mas não adiantou nada. Fazer o quê? As palavras dela continuam agressivas e desnecessárias. Mas as suas, por outro lado, mostram que você compreende bem o que é o reino de Deus.

"Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus." (Mt 5:9)

Um forte abraço, amigo,
na graça e paz do Senhor Jesus.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Amigo Alan, logo no comecinho, quando comecei a visitar o blog da Rô. Certa vez eu dei uma resposta torta e muito anticristã e malcriada a você lá. Eu vivia um período de idiotice narcisista, imbecilizado e egolátrico. A Rô me escreveu e pediu que eu retirasse meu comentário a você, porque você se ofenderia. Eu depois de mascar o freio, retirei o comentário. Alguns meses depois disto, eu vim a conhecer-te e nos tornamos amigos. Sou grato a ela porque sua exortação me deu a oportunidade de conhecer um grande homem de Deus que é você Alan. Por isto, sei que a Rô é zelosa com a bíblia, sei que ela é visceral demais as vezes e que inúmeras vezes lê e não enxerga o que falamos, mas pensa que falamos o que já está dentro da cabecinha dela. Ela é assim: passional com as coisas de Deus. Hoje consigo entendê-la, sei que apesar da aparência fundamentalista translocada que ela passa, ela é gente boa de Deus. Então fica aqui meu apelo para que vocês dois se entendam e perdoem uma ou outra palavra torta que desceu quadrada ou que não deu pra engolir. Na paz de Jesus que ambos têm.

disse...

Desculpa-me Alan, se te ofendi, mas é que Jesus disse ao homem rico: você conhece o mandamento: Não mate não cometa adultério, não tire nada dos outros, respeite seu pai e sua mãe... se Jesus condenou o adultério orientando o jovem rico que não fazia parte da igreja ainda. Então me oriente. Como devo me dirigir as pessoas que estão na prática do homossexualismo?? Eles se unem para destruir a igreja do Senhor, o que devo falar para eles??

Sem mais, me perdoe se te ofendi, ou feri, não era a minha intenção.
Paz!

Alan Capriles disse...

Querido Claudio, essa é uma linda história, que agradeço por compartilhar, agradecendo também à Rô por tão bela atitude. Prefiro guardar essa imagem da Rô, amiga e conciliadora.

Ela sabe que a tenho em grande estima e que não guardo ressentimentos dela. Só quero deixá-la a vontade para seguir suas convicções em paz. Não quero que meu blog se transforme numa arena.

Ah, antes que eu esqueça, eu também vivi muitos anos como um idiota narcisista, imbecilizado e egolátrico. E, pra dizer a verdade, ainda estou me desintoxicando destas coisas, nas quais o sistema religioso me transformou.

Sendo assim, peço perdão a Rô se eu não soube compreender bem suas palavras. Talvez meu ego tenha me enganado (mais uma vez).

"Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados." (1Pe 4:8)

Deus lhes abençoe cada dia mais!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Amém amigo, desintoxicar da religião e ser do Evangelho puro e simples é um processo, graça a Deus estamos todos sendo transformados de glória em glória para sermos a imagem de Seu Filho. Abraços.

Alan Capriles disse...

Rô, minha querida irmã em Cristo, eu é que lhe peço desculpas. O computador nos faz esquecer que estamos lidando com pessoas, e não com máquinas. Você sabe o quanto lhe admiro e desejo continuar seu amigo.

Quanto à sua pergunta, tenho um ponto de vista diferente. Não creio que os homossexuais queiram destruir a verdadeira igreja do Senhor, mas sim a igreja que os homens criaram e dizem que é do Senhor. Mas isso é assunto para outro artigo, né?

Fico feliz que estejamos em paz.

Um forte abraço,
no amor de Cristo Jesus!

disse...

OK Alan, se pensas assim, então ta. Só lamento! Fique com Deus!

René disse...

Alan, querido amigo,

Me desculpe por copiá-lo, mas "isso não é pregar o Evangelho"!

Um dos pregadores disse ao policial que os havia convidado para resolver aquela discussão na delegacia (não houve voz de prisão), que "só estava pregando o Evangelho!". Mas não vi pregação do Evangelho, ali!

Quando alguém se predispõe a ir à Praça da República, em Sampa, ou à Cinelândia, no Rio, pra ler em voz alta Romanos 1.26-32, esse alguém não está interessado em levar a Palavra de salvação de Jesus a ninguém. Na verdade, quem faz isto, se colocou na qualidade de Juiz, julgou a si mesmo e aos outros, condenou aos outros e se colocou na condição de santo!

Mais do que isto, tal pessoa demonstra um desconhecimento bíblico inaceitável para quem se auto-intitula pregador da Palavra de Deus. Como o Cláudio salientou muito bem, o Evangelho é 'boa nova, boa notícia de salvação' para todo aquele que está perdido! E o próprio Senhor Jesus disse que seria o Espírito Santo que nos convenceria de pecado e que nos ensinaria TODAS as coisas. Ele não disse para nós sairmos pelo mundo convencendo aos outros de seus pecados! Ele disse para pregarmos as boas novas da salvação a toda criatura! Quem recebesse esta mensagem, se interessasse por ela e se entregasse ao senhorio de Jesus, seria convencido de pecado e ensinado pelo Espírito Santo!

Nesse sentido, há um grave erro de leitura bíblica que cometemos: pegamos todas as "pregações" descritas na Palavra, como sendo pregações para toda e qualquer pessoa! Jesus pregou arrependimento a pessoas que tinham conhecimento de Deus! João Batista recriminou aos religiosos da época, conhecedores da Palavra e da vontade de Deus, assim como recriminou a Herodes, que apesar de não ser judeu, conhecia a Palavra e havia usurpado o trono da Judéia, ao qual não teria direito.

Como você disse, Alan, Paulo pregou sobre pecados para aqueles que tinham o conhecimento de Deus também. Quando ele pregou no areópago a pessoas que não tinham este conhecimento, sua pregação foi direcionada à Boa Nova, Jesus! Alguns se interessaram, outros não. Os interessados o seguiram, para aprender mais e, certamente, a partir daí serem convencidos, pelo Espírito, de pecado! E Paulo sempre fez assim!

Sem este discernimento, ao invés de agirmos comissionados pelo Espírito de Cristo, atropelamos a vontade de Deus e fazemos besteira, como essa do vídeo!

Abração e Paz, meu amigo!