sábado, 8 de janeiro de 2011

TUDO ESTÁ BEM SEM DEUS

Por Alan Capriles

O título do presente artigo espanta você? Pois não deveria. Diariamente recebemos esta mesma mensagem, de que “Tudo está bem sem Deus”, seja por meio de filmes, novelas, programas de televisão, ou mesmo pela internet. A mídia sempre procura nos distrair mostrando pessoas que, apesar de totalmente alienadas de Deus, terminam muito bem e felizes sem ele.

É o que ocorre, por exemplo, no filme “O Náufrago”, protagonizado por Tom Hanks. Particularmente, esse é o ator norte-americano que mais gosto, e esse filme, um dos dez que mais assisto. E acredito que muitos outros concordam comigo. No entanto, isso não deve nos impedir de enxergar a mensagem sutil que há por trás dessa estória, e que serve muito bem como exemplo máximo para todas as outras.

Respeitando leitores que ainda não tenham assistido “O Náufrago” evitarei contar o final da estória. Sendo assim, quero apenas limitar-me ao fato de que Tom Hanks, perdido numa ilha deserta, prefere conversar com uma bola de futebol do que falar com Deus em oração. E isso, apesar de incrível – para não dizer impossível – é aceito por todos como algo absolutamente normal.

Não, isso não é normal. Ninguém precisa estar numa ilha deserta para pensar em Deus, ou orar. Mas, se alguém estiver nessa situação, é óbvio que pensará no criador e, ainda que não tenha religião alguma, pedirá o socorro do alto. Mas isso não acontece em momento algum desse ou de qualquer outro filme.

A verdade é que Deus é completamente descartado de todos os filmes, novelas e seriados que passam na TV. Ninguém ora, ninguém vai à igreja, ninguém se preocupa com a salvação. Porém, quando raramente surge um personagem fazendo alguma dessas coisas, é para expô-lo ao ridículo. Não é assim?

“Tudo está bem sem Deus” é a mensagem que seriados nacionais e internacionais transmitem diariamente para milhões de telespectadores. Seriados como “A Grande Família” ou “Eu, a Patroa e as Crianças”, que divertem a todos nós, retratam conflitos familiares que são resolvidos absolutamente sem qualquer menção a Deus, ou a religião alguma.

E quanto às novelas? Todas terminam agradando ao público, mas o final feliz acontece após meses de uma estória na qual dezenas de personagens vivem totalmente esquecidas de Deus. E, o mais assustador, é que quase ninguém se dá conta disso...

Estaríamos todos entorpecidos?

É assustador pensar nisso. Passamos horas por semana recebendo a mensagem de que não precisamos de Deus para viver. E ninguém percebe! Seria essa a causa de nossa sociedade estar vivendo tão egoisticamente, como se Deus não existisse? Seria uma hipnose coletiva?

“Tudo está bem sem Deus... Tudo está bem sem Deus... Tudo está bem sem Deus...” Cada filme que assistimos, cada novela que nos entretém, cada seriado e até desenhos animados que distraem nossas crianças – todas essas e outras programações eliminam Deus completamente de suas estórias.

Acredito ser essa também a causa de tantos crentes frios e indiferentes para com as “coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus”. Ora, os mesmos evangélicos que têm enorme preconceito contra música secular são os que assistem com gosto a todos os melhores filmes de Hollywood. E alguns ainda não perdem por nada o capítulo da “sua” novela. Sendo assim, como esperar que uma ou duas horas de pregação semanal possa gerar avivamento genuíno, se passamos dezenas de horas por semana gelando nosso coração diante de uma tela de TV, ou de computador?

E as telas estão cada vez mais sedutoras, com imagens em altíssima resolução e até em três dimensões! Como se proteger disso? Com toda essa tecnologia, cada dia mais atraente, torna-se ainda mais difícil despertar as pessoas dessa hipnose...

Isso parece loucura pra você? Não lhe parece grave que filmes, novelas, seriados e desenhos eliminem Deus por completo de suas estórias? Se você não consegue ver nada de errado nisso, talvez seja porque seu discernimento também já esteja entorpecido. Talvez porque você passe horas demais diante de uma tela de TV ou de computador. Talvez porque você seja mais uma vítima dessa mídia, que sussurra dia e noite em nossas mentes uma só mensagem: “Tudo está bem sem Deus...”

Por Alan Capriles

15 comentários:

Cláudio Nunes Horácio disse...

Alan, confesso que nunca tinha pensado nesta mensagem que berra pra nós "que tudo está bem sem Deus". Você está certíssimo, é exatamente isso que 99% das pessoas fazem, crentes ou descrentes vivem muito bem sem Deus, exceto quando chegam os desertos da existência.
Achei incrível e assustadora esta mensagem, pela verdade nela contida.
Sabe, inúmeras vezes já me peguei enxergando que as pessoas "normais" são totalmente diferentes de mim, não precisam de Deus o tempo todo como eu preciso. Alguns já me disseram que sou diferente, especial entre outros adjetivos. Nalguns ouvi como estranheza, noutros como crítica e nuns poucos como um talvez elogio. Mas a síntese é: como é que alguém pode viver na dependência de Deus dia após dia por anos e nunca alcançar independência? Então os olhares se transformam em sentenças e assim vou vivendo minha vidinha pequenina, insignificante na melhor companhia que conheço, Deus. Paz e comunhão meu amigo.

Alan Capriles disse...

É isso mesmo, Cláudio!

As pessoas ditas "normais" são totalmente diferentes de nós, vivendo suas vidas como se Deus não existisse, como se elas nunca fossem prestar contas com Ele. São pessoas que nos olham como se nós não fôssemos desse mundo...

Mas é isso mesmo: não somos desse mundo! Glória a Deus!

Um forte abraço, amigo, na paz do Senhor Jesus!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Alan, ouvi sua pregação é a achei incrível Palavra de Deus exposta e explícita. Olha, uma coisa vem me emocionando, é que tenho visto o Espírito agindo em diversos lugares e denominações, por exemplo: eu nem sabia que você havia pregado sobre isso, você nem imaginava que eu escreveria sobre isso, e mesmo assim, inúmeras verdades do Evangelho vem sendo expostas e pregadas matando as heresias da religião pervertida em anos e anos de teologias malucas que interpretaram tudo errado.
Sua exposição está alinhada ao que John Stott expõe no livro "A cruz de Cristo" de modo explêndido, da mesma forma escrevi expondo que Jesus nunca se acovardou em relação a cruz e creio que esta mensagem deva estar sendo pregada no mundo todo. Alan, o Espírito está agindo de forma clara e explícita, isto me deixa imensamente feliz e emocionado. Olha, se tiver mais pregações em mp3 me mande os links tá bom? Forte abraço.

Alan Capriles disse...

É verdade, Cláudio!
O Espírito está operando um despertamento em irmãos de todas as denominações, e isso no mundo inteiro!
Quanto ao livro, preciso ler "A Cruz de Cristo" o mais rápido possível. Até onde sei, é o único que trata desse assunto por completo.
Para que os leitores saibam de qual pregação vc está falando, coloco novamente aqui o link. Logo abaixo está o link de outra minha pregação que considero bastante oportuna:

O Cálice da Comunhão
http://rapidshare.com/files/440933956/O_CALICE_DA_COMUNHAO_-_Alan_Capriles__02jan2011_.mp3

A Verdadeira e a Falsa Videira
http://www.mediafire.com/?yy6iwm19alf4043

Um forte abraço, amigo!
Deus lhe abençoe cada dia mais!

René disse...

Grande Alan,

Tão divulgada, no entanto, tão pouco percebida: esta mensagem subliminar, realmente, faz parte da maioria dos filmes e programas! Quando não é isto, temos as contestações à Palavra de Deus.

Você percebe essa mensagem? Graças a Deus!! Alguns poucos percebem! E os que não percebem, são avisados pelo próprio Espírito, quanto a isso. Mas preferem não reconhecer. Preferem dizer: "Tudo está bem sem Deus!".

Bela e necessária exortação, meu amado amigo!

Grande abraço e continue nessa Paz, sendo dirigido pelo Espírito de Cristo!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Alan, você não leu o livro, mas pregou EXATAMENTE o que o John Stott ensina, mas leia sim porque vale a pena. Vou baixar e ouvir mais tarde, valeu. Abração na graça de Jesus.

João Dórea disse...

O mundo cristao esta enfadado a isso, ha pastores que soem nos pulpitos e diz que Deus mudou a mensagem. mas e o simples reflexo da vida espiritual sem oraçao e leitura da palavra devido a essa avalanche de mensagem subliminar!!

Trocando de assunto,gostei Pr. Alan do seu argumento contra a teologia da prosperidade mensionado por Silas Malafaia.

Postei no meu blog, realmente o nosso irmao em Cristo equivocou-se.

Da uma passadinha la, nao custa nada.

em Cristo.

Alan Capriles disse...

Valeu, René!

Depois que nós percebemos a sutileza da mensagem, não há mais como assistir qualquer filme sem uma certa indignação. Onde está Deus nessas estórias?

É bom saber que vc também está vigilante quanto a isso.

Um forte abraço, amigo, na paz do Senhor Jesus!

Alan Capriles disse...

A Paz, João!

Já dei minha passadinha no seu blog, que está uma bênção! E agradeço pela visita. Esteja sempre a vontade para comentar.

Um forte abraço!

Wendel Bernardes disse...

Oi Alan,
Tô dando uma passadinha bem rapidinha pra agradecer por estar seguindo o blog...
Fico muito feliz em achar aqui gente da estirpe do René e do Cláudio...
Depois volto pra levar seu banner e te adicionar nos meus favoritos, ok?

Abraços!

Rita disse...

Olá,Paz
Agradecendo e retribuindo a visita.
Esse texto é uma exortação que faz falta ,e muita falta,infelizmente a maioria das pessoas nem se dão conta do mal enraizado bem ali no meio da sala,no seio do lar, a TV é como uma droga alucinógena,e ainda desinforma e emburrece,e o pior passa a mensagem exatamente como vc descreve...tudo está bem sem Deus...mas ,o objetivo é esse mesmo,alienar a população de tal modo que só o que elas recebem de informação é que vale ser vivido,é uma droga que impede o uso total da capacidade cerebral de discernimento e inteligência, a TV na verdade é a grande causadora de desinteligência no ser humano.
Eu amo a palavra do Senhor,porque ela nos educa,nos salva,e de brinde nos presenteia com a sábia direção do Espírito,que nos capacita a discernir,examinar tudo,e reter o bem,se todo cristão fosse inteligente e ouvisse a sabedoria do Senhor desligava a TV para sempre,são os olhos do mal nos vigiando e plantando sementes...
Desculpa se me alonguei,rsrsr,tenho o péssimo hábito as vezes...
Muito bom esse texto,um leitura agradável e necessária.
Graça e paz,que o eterno nosso Deus o abençoe!!

Alan Capriles disse...

Valeu, Wendel!

Também vou colocar seu banner aqui. Seu blog é ótimo! Fico feliz em fazer mais um amigo.

Um forte abraço, na paz do Senhor Jesus!

Alan Capriles disse...

Olá, Rita!

Que alegria receber seu comentário. Esteja sempre a vontade para expressar suas idéias em meu blog e até para discordar também, pois sei que não sou dono da verdade.

Penso exatamente como você nesse assunto: "a TV na verdade é a grande causadora de desinteligência no ser humano". Como já cantavam os Titãs: "A televisão me deixou burro, muito burro demais..."

Também saliento sua conclusão: "se todo cristão fosse inteligente e ouvisse a sabedoria do Senhor desligava a TV para sempre". Alguns tem feito isso. O pr John Piper disse numa entrevista que não tem televisão em casa. O Paul Washer tem a TV apenas ligada no aparelho de DVD, para selecionar o que sua família vai assistir. Talvez devêssemos seguir esses exemplos.

Por outro lado, se conseguirmos de Deus o necessário discernimento e domínio próprio, creio não ser preciso retirar a TV da sala, mas selecionar cuidadosamente aquilo que vamos assistir. Noticiários e documentários são importantes fontes de conhecimento e, nesse sentido, creio que a TV tem utilidade.

Seu comentário enriqueceu bastante o presente artigo. Agradeço, de coração.

Deus lhe abençoe cada dia mais!

Pr. Fabio Scofield disse...

Olá! Meu amigo Pr. Alan, Graça e Paz...

Parabéns! Excelente reflexão.
O senhor está certíssimo quanto a esta sociedade corrompida, que vivem em mundo totalmente sem Deus, e acham que estão felizes, e o pior,eles tem nos seduzido a viver como eles, através dos seus entretenimentos.
Eu tive o privilegio de estar em uma determinada igreja, como preletor; e algo me chamou muito atenção; o Pastor anunciou que a igreja estava encerrando um período de trinta dias de jejum total, sem assistir a TV,onde ele falou dos benefícios que eles haviam conseguido,e propôs mais trinta dias, e todos concordaram. Amém!
Eu, conheço estes benefícios espirituais e porque não dizer, também, até psicológicos;pois já fiquei um período de um ano e meio, totalmente sem nenhum acesso a qualquer tipo de programa de Tv, cinema ou internet ou mesmo a leitura de jornais; dedicando este período totalmente para a leitura da Bíblia. Posso dizer que foi o período mais espiritual da minha vida. Quero dizer algo, sem contrariar o testemunho bíblico, mesmo porque naquele tempo eles não sofriam estas tentações; eu já experimentei todas as formas bíblica de jejum, já me abstive em períodos razoáveis de alimentos sólidos, e até mesmo do sexo; porem o melhor resultado para mim foi a abstinência total dos meios de entretenimentos virtuais.

Deus abençoe a sua vida e a sua família...

Alan Capriles disse...

Amado pastor Fábio

Seu comentário é muito importante. Também conheço um pastor que jejuou desta forma, juntamente com alguns membros de sua igreja. Imagino que os benefícios são enormes, não somente a nível espiritual, mas também familiar, pois restaura a comunicação no lar, que é muito reduzida por causa da TV e do computador. Tenho pensado em fazer um jejum semelhante e, após ler seu comentário, sinto-me ainda mais motivado a começá-lo.

Um forte abraço, na paz do Senhor Jesus!