segunda-feira, 10 de junho de 2013

UMA DESCONFIANÇA



Divulgação não autorizada - Trechos dessa mensagem - Assista ao vídeo completo!

"Eu desconfio
que se tivéssemos da Bíblia
apenas os evangelhos
nós seríamos melhores crentes.

"Porque antes de sermos seguidores da Bíblia
nós devemos ser seguidores de uma pessoa:
Jesus de Nazaré.

"Porque sendo seguidores do livro
nós podemos nos tornar fundamentalistas,
legalistas, presos a uma letra,
podemos nos tornar fariseus, 
iguais aos do tempo de Jesus,
que conheciam profundamente a letra
e o que existia daquela época de Bíblia
que era o Torá e textos dos profetas.

"Mas quando nós somos, acima de tudo,
seguidores de Jesus de Nazaré,
da sua vida, dos seus referenciais,
da forma como ele age e se relaciona com as pessoas
- e que está registrado nos quatro evangelhos -
nós nos tornamos melhores cristãos.

"Quem é seguidor de livro não deveria ser cristão;
quem é seguidor de livro é gente radical
conservadora, sempre pronta a apontar
o defeito dos outros e ainda a apontar
onde é que está o erro na Bíblia
ou em qualquer que seja o livro.

"Nós, cristãos, temos um referencial
e esse referencial se chama 
Jesus.

"Um exercício que eu tenho feito
e tenho incentivado meus pastores a fazer
é o seguinte:
vamos ler mais os evangelhos 
e somente quando a gente aprender a respeito de Jesus
nos evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João,
é que a gente pode ler qualquer outra coisa depois.

"Porque muitas vezes nós pensamos que ser cristão
é seguir normas, condutas, práticas e dogmas
quando na verdade ser cristão é seguir a Jesus
e tendo Jesus como referencial único das nossas vidas.

"Quando temos Jesus assim, 
como referencial único em nossas vidas,
nos tornamos pessoas mais meigas, misericordiosas e flexíveis, 
assim como Jesus era meigo, misericordioso e flexível.

"Mas nos tornamos também duros com gente hipócrita,
assim como Jesus era duro com aqueles fariseus
que estavam sempre dispostos a apontar o dedo para os outros
Eles conheciam tudo que existia da lei de Moisés,
eles só não conheciam a respeito de amor,
de misericórdia e de graça
e isso Jesus sabia muito bem o que era."
________________________________________

A história dessa pregação é curiosa. Ela chegou até mim através de minha mãe, que esteve presente no culto onde esse pastor foi o pregador convidado, em 31 de Março de 2013. Como a mensagem foi gravada e ela sabia que eu iria gostar, encomendou o CD e me presenteou com ele, há poucos dias atrás. Acho que ela sabe que eu também tenho essa mesma desconfiança...
No entanto, por eu não estar autorizado a fazer essa divulgação, tive de manter o nome do pastor e da igreja onde ele pregou em sigilo, mesmo tratando-se apenas um trecho de toda essa pregação. Conto com a compreensão de todos. Mas aguardo seus comentários!

Alan Capriles

6 comentários:

Hi7M4N disse...

Pr. Alan, Graça e Paz....

Eu não creio que nós os cristão só deveríamos ler os evangelhos, visto que muitos textos do Novo Testamento sita o AT, e se referem a ele como sendo para o nosso proveito: Rm-15:4-Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. ver -1Co-10:1-13 e 2Tm-3:16,17 -Toda a Escritura divinamente inspirada é apta para ensinar.....As Escrituras é cristocêntrica, porém, Cristo em sua obra faz um divisor de águas entre o AT e o NT, entre os escritos que profetizaram a seu respeito,e os Escritos que narram os seus feitos. Assim teremos que ser: Toda a Escritura é apta para ensinar, mas, só em Cristo, é que aprendemos a praticar. Um grande abraço.....

HP disse...

Alan,

É perfeito e oportuno este texto. Concordo plenamente que devemos seguir Jesus apenas.

Mas o ser humano é complicado.
Ter misericórdia de quem em nossa análise não merece misericórdia é algo que fere nossos conceitos.
Amar quem em nossa análise não merece ser amado, fere também nossos conceitos.

Enquanto não entendermos que somos reprováveis e abomináveis diante de Deus e que somente Cristo pode justificar-nos diante de Deus, vamos continuar apontando o "cisco" no olho do outro, acostumados com a trave que temos diante de nós.

Continuaremos a coar uma mosca e engolir um camelo.

Que Deus nos ajude a entendermos o significado da "Graça".

grande abraço.

Ruth Ferraz disse...

"ERRAIS EM NÃO CONHERCERDES AS ESCRITURAS E O PODER DE DEUS", disse Jesus.

Alan Capriles disse...

Queridos amigos

Esse pastor não está dizendo que só deveríamos ler os evangelhos, mas está somente nos lembrando da prioridade dos evangelhos antes de qualquer outra leitura bíblica. E por uma razão muito simples: Jesus é o nosso referencial e não Abraão, Isaac, Jacó, Moisés, Elias, Pedro, Paulo, ou qualquer outro personagem bíblico.

Sendo assim, deveríamos primeiramente ler e reler os evangelhos inúmeras vezes, meditando em cada ensinamento e exemplo de Cristo, antes de nos aventurarmos por outros livros da Bíblia. Eu, particularmente, tenho feito isso de alguns anos pra cá e o resultado tem sido uma aproximação muito maior com o Senhor e uma compreensão mais profunda de sua mensagem. Quando mergulhamos em Cristo somos envolvidos por seu amor e já não se torna difícil ter um coração quebrantado, pronto a se arrepender, pedir perdão, perdoar e exercer misericórdia.

Deixo esse conselho a todos que forem conduzidos por Deus a lerem esta mensagem:

Releiam os evangelhos. Mas antes retirem as lentes da religiosidade. Leiam como se fosse a primeira vez e com o coração limpo de qualquer dogma e preconceito. O resultado é surpreendente!

Um forte abraço,
no amor de Jesus!

Alan Capriles disse...

"ERRAIS EM NÃO CONHECERDES AS ESCRITURAS E O PODER DE DEUS", disse Jesus...
... aos saduceus,
que se julgavam tão sabedores da letra quanto os fariseus. Não é por acaso que o contexto (Mt 22:23-40) culmina em Jesus nos ensinando o mandamento que resume todos os demais: "amarás o teu próximo como a ti mesmo".

Então, que fique esclarecido: "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus" foi o que Jesus disse para os saduceus.

No entanto, o que Jesus declarou para nós, seus seguidores, não é para estudarmos a letra da Lei de Moisés. Que tal relembrarmos? Eis o que ele nos ordenou fazer:

"Toda autoridade me foi concedida no céu e na terra. Portanto, ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-lhes a obedecer a todas as coisas que vos ordenei; e eu estou convosco todos os dias, até o final dos tempos." (Mt 28:18-20)

Enfatizo: "ensinando-lhes a obedecer a todas as coisas que vos ordenei" foi o que nos orientou nosso Mestre e Senhor.

Essa é a missão da igreja:
Obedecer ao que Jesus nos ordenou e ensinar os novos convertidos a fazer o mesmo. Somente assim seremos verdadeiros discípulos de Cristo, se nos parecermos com Ele, que é a maior expressão do amor de Deus que já passou sobre a terra.

Mas é incrível como há resistência (no meio que se diz cristão!) em ensinar o que Jesus ensinou. Na maioria das reuniões se prega sobre Davi, Elias, Isaac, etc... mas raramente sobre o que Jesus nos ordenou fazer. Isso não é apenas incrível, mas é assustador! Quando se prega algum texto nos evangelhos geralmente é sobre algum milagre, ou coisa parecida. Fala-se muito no nome de Jesus, mas pouco se ensina do que Ele nos ensinou. Por isso há tantos escândalos no meio evangélico, porque a igreja não tem cumprido bem seu papel.

Claro que há exceções, mas sabemos que na maioria das igrejas é isso mesmo que acontece. Basta vermos, por exemplo, o desprezo de quase todas as igrejas para com a obra missionária. Eis a mais forte evidência de que há algo de muito errado no meio evangélico, que se esforça em realizar festivais, congressos e "louvorzões", mas não envia um centavo para missionários que estão em necessidade. E, quando fazem, é uma vez no ano...

Chega desse oba-oba! Voltemos para Cristo! Ouçamos a Sua voz! Aprendamos com Seu exemplo! Somente assim haverá uma mudança real e profunda na igreja que se diz cristã. Somente assim haverá verdadeiro amor ao próximo, a marca de um verdadeiro discípulo de Cristo e a maneira única de se amar a Deus.

Cláudio Nunes Horácio disse...

Concordo contigo amigão, é exatamente isso. Abraços.